OTbrain

Loading...

OTbrain

Register

Processo TO - 1 de Março, 2022

#21 Operacionalização do Processo de Terapia Ocupacional segundo a AOTA

Operacionalização do Processo de Terapia Ocupacional segundo a AOTA (EPTO)

  • A Terapia Ocupacional é uma profissão dinâmica e essencial que visa promover a saúde e o bem-estar dos indivíduos através do envolvimento em ocupações significativas.
  •  
  • Segundo a Associação Americana de Terapia Ocupacional (AOTA), o processo de Terapia Ocupacional é caracterizado por uma interação contínua entre três componentes principais: Avaliação, Intervenção e Resultados.
  •  
  • Esta interação contínua ocorre ao longo do processo de Terapia Ocupacional. Estas diretrizes fazem parte do Enquadramento da Prática da Terapia Ocupacional, editado pela Associação Americana de Terapia Ocupacional e servem como um guia estruturado para terapeutas ocupacionais em diversas áreas de prática.

Avaliação

  • A avaliação é a primeira etapa do processo de Terapia Ocupacional e é crucial para compreender as necessidades, os pontos fortes e os desafios dos clientes. Deste processo fazem parte:
  • Perfil Ocupacional

Identificar o seguinte:

  • – Porque o/a cliente procura os serviços, e quais são as suas preocupações atuais em relação ao envolvimento em ocupações e atividades da vida diária?
  • – Em quais ocupações o/a cliente sente-se bem-sucedido e quais barreiras estão a afetar o seu sucesso nas ocupações desejadas?
  • – Qual é a história ocupacional do/a cliente (ou seja, experiências de vida)?
  • – Quais são os valores e interesses do/a cliente?
  • – Quais são os aspetos dos contextos (fatores ambientais e pessoais) que o/a cliente vê como suporte ao envolvimento nas ocupações desejadas e que aspetos estão a inibir o envolvimento?
  • – De que forma os padrões de desempenho do/a cliente suportam ou limitam o desempenho e o envolvimento ocupacional?
  • – Quais são os padrões de envolvimento do/a cliente nas ocupações e como mudaram ao longo do tempo?
  • – Quais os fatores do/a cliente que este identifica como suporte ao envolvimento nas ocupações desejadas, e quais os aspetos que inibem o envolvimento(p. ex. dor, sintomas ativos)?
  • – Quais são as prioridades do/a cliente e os resultados desejados relacionados com o desempenho ocupacional, prevenção, saúde e salubridade, qualidade de vida, participação, competência nos papéis, bem-estar e justiça ocupacional?

Análise do Desempenho Ocupacional

  • – A análise do desempenho ocupacional envolve um ou mais dos seguintes:
  • – Sintetizar informações do perfil ocupacional para determinar as ocupações e contextos específicos que necessitam de ser abordados
  • – Completar uma análise da ocupação ou da atividade para identificar as exigências das ocupações e atividades do/a cliente
  • – Selecionar e usar avaliações específicas para medir a qualidade ou os défices de desempenho do/a cliente, enquanto realiza ocupações ou atividades relevantes para as ocupações desejadas, registando a eficácia das competências e padrões de desempenho
  • – Selecionar e utilizar avaliações específicas para medir fatores do/a cliente que influenciam competências e padrões de desempenho
  • – Selecionar e administrar avaliações para identificar e medir mais especificamente os contextos do/a cliente e o seu impacto no desempenho ocupacional.

Síntese do Processo de Avaliação

  • Esta síntese pode incluir:
  • – Determinar os valores e prioridades do/a cliente para a participação ocupacional
  • – Interpretar os dados da avaliação para identificar apoios e obstáculos ao desempenho ocupacional
  • – Desenvolver e aperfeiçoar hipóteses sobre os pontos fortes e défices de desempenho ocupacional do/a cliente
  • – Considerar os sistemas e contextos de suporte existentes e sua capacidade de apoiar o processo de intervenção
  • – Determinar os resultados desejados da intervenção
  • – Criar objetivos em colaboração com o/a cliente que sejam dirigidos para os resultados desejados
  • – Selecionar medidas de resultados e determinar procedimentos para medir o progresso em direção aos objetivos da intervenção, o que pode incluir a repetição das avaliações usadas no processo de avaliação.

Intervenção

  • A intervenção é a fase onde o plano de ação é desenvolvido e implementado para atingir os objetivos definidos na avaliação.

Plano de Intervenção

  • – Desenvolver o plano, o que envolve selecionar:
  • ➝ Objetivos e metas mensuráveis baseadas na ocupação e com prazos definidos
  • ➝ A bordagem ou abordagens de intervenção de Terapia Ocupacional, como criar ou promover, estabelecer ou restaurar, manter, modificar ou prevenir; e
  • ➝ Métodos para prestação de serviços, que incluem os tipos de intervenção, quem realiza as intervenções e quais as abordagens a utilizar
  • – Considerar potenciais necessidades de planos para a alta.
  • – Fazer recomendações ou referenciar para outros profissionais, conforme necessário.

Implementação da Intervenção

  • – Selecionar e executar a intervenção ou intervenções, que podem incluir:
  • ➝ Uso terapêutico de ocupações e atividades
  • ➝ Intervenções que apoiam ocupações
  • ➝ Educação
  • ➝ Treino
  • ➝ Advocacy
  • ➝ Self-advocacy
  • ➝ Intervenção em grupo 
  • ➝ Intervenções virtuais
  • – Monitorizar a resposta do cliente através de uma avaliação contínua e reavaliação.

Revisão da Intervenção

  • Reavaliar o plano e como está a ser implementado, considerando os resultados a atingir.
    ➝ Modificar o plano conforme necessário.
    ➝ Determinar a necessidade de continuação ou interrupção dos serviços e de encaminhamento para outros serviços.

Resultados

  • A fase de resultados foca na avaliação do progresso e ajuste das intervenções conforme necessário.
  •  
  • – Selecionar as medidas de resultado no início do processo de Terapia Ocupacional (consultar a secção “Avaliação”) com base nas suas propriedades:
  • ➝ Válida, confiável e sensível a mudanças no desempenho ocupacional dos/as clientes.
  • ➝ Consistente com os resultados desejados.
  • ➝ Congruente com os objetivos do/a cliente.
  • ➝ Capaz de predizer resultados futuros.
  • – Usar medidas de resultados para medir o progresso e ajustar objetivos e intervenções, através de:
  • ➝ Comparação do progresso em direção ao cumprimento dos objetivos com os resultados ao longo do processo de intervenção e
  • ➝ Utilização dos resultados para tomar decisões sobre a futura direção da intervenção (p. ex., continuar, modificar, fazer a transição, interromper, fornecer acompanhamento, encaminhar para outro serviço).
  • O processo de Terapia Ocupacional, conforme delineado pela AOTA, fornece uma estrutura robusta para terapeutas ocupacionais. A interação contínua entre avaliação, intervenção e resultados garante que o processo seja dinámico e adaptável, permitindo que os terapeutas ofereçam um serviço personalizado e eficaz, promovendo o desenvolvimento e o bem-estar dos clientes.
  • Clica no botão abaixo para descarregares a versão em PDF e usar estas orientações como checklist:

Conteúdo exclusivo membros OTbrain PRO!

Para teres acesso a este conteúdo e dezenas de benefícios clica no botão abaixo 👇
OTbrain PRO

[NOVO] Artigos OTbrain

×