OTbrain

Loading...

OTbrain

Register

Processo TO - 20 de Maio, 2022

#73 Avaliações em Integração Sensorial: SOSI-M e COP-R

  • Por Gustavo Reinoso, Ph.D., OTR/L Dominique Kiefer-Blanche, OTD, OTR/L Erna I. Blanche, Ph.D., OTR/L, FAOTA  em flota.org
  •  
  • À medida que nossa compreensão da integração sensorial e do constructo de processamento evolui, as nossas medidas e avaliações também devem evoluir. Terapeutas ocupacionais que trabalham com crianças que apresentam défices na integração e processamento sensorial usam uma série de medidas na prática clínica, como testes padronizados, questionários, entrevistas familiares, relatos biográficos e medidas de autorrelato. As informações fornecidas por essas ferramentas auxiliam os profissionais a compor um perfil clínico, formular hipóteses e desenvolver um plano de cuidados relevante para a vida dessas crianças e suas famílias. Os resultados dessas medidas são frequentemente combinados com o uso de observações clínicas. O objetivo principal das observações clínicas é permitir que o terapeuta use o julgamento clínico para analisar o desempenho de uma criança em relação ao processamento sensorial, conforme informado pela evolução da teoria e investigação (Blanche & Reinoso, 2008).
  •  
  • Por muitos anos, os terapeutas ocupacionais utilizaram uma versão não publicada das observações clínicas da Dr. Ayres para auxiliar na avaliação de crianças. No entanto, determinar valores de referência para apoiar as intervenções era difícil, pois não existiam. Assim, diferentes observações clínicas foram frequentemente utilizadas em ambientes clínicos para fornecer pontuações de corte. Por exemplo, Gregory-Flock & Yerxa (1984) forneceram informações sobre extensão em pronação e a sua relação com o processamento vestibular, incluindo alguns valores de referência. Em 2002, Erna Blanche (n.t. em conjunto com a Pediatric Therapy Network) produziu um vídeo e um manual fornecendo um conceito unificado sobre a administração, interpretação e raciocínio clínico para terapeutas ocupacionais usarem na avaliação de crianças com problemas de integração sensorial e processamento. Apresentou-se a pesquisa disponível na época e articulou-se um modelo de raciocínio clínico para a sua interpretação.
  •  
  • Vários terapeutas foram treinados na administração de um protocolo de pesquisa criado por Blanche durante congressos profissionais, conferências, formações e oportunidades de educação continuada nos EUA, Ásia, Europa, América Latina e Caribe. Os profissionais aprenderam o interesse e a utilização de observações clínicas, bem como a administração de protocolo unificado, na avaliação de crianças, o que permitiu que a aplicação desses processos continuasse a crescer entre os terapeutas ocupacionais pediátricos. Alguns países, como o Chile, por meio de suas organizações de Integração Sensorial, testaram protocolos seguindo o protocolo original (Imperatore-Blanche et al., 2016; Calderón, 2020). Um treinamento internacional foi introduzido durante o último congresso da Federação Mundial de Terapeutas Ocupacionais (WFOT) na África do Sul, onde muitos terapeutas continuaram a expressar interesse num protocolo unificado com procedimentos padronizados e um sistema de pontuação. Da mesma forma, a COP (n.t., Comprehensive Observations of Proprioception), publicado pela primeira vez em 2012, revelou fortes evidências de validade de constructo e validade discriminante entre crianças com autismo (PEA), atrasos de desenvolvimento (DD) e crianças neurotípicas (Blanche et al., 2012a; Blanche et al. 2012b ). Desde então, publicações adicionais, estudos de teste piloto, apresentações e trabalhos contribuíram para várias revisões em preparação para estudos baseados nos EUA. Após vários desenvolvimentos e estudos piloto, duas novas avaliações foram publicadas e estão disponíveis para terapeutas com interesse em avaliar e tratar crianças com problemas de integração sensorial e processamento. Uma breve introdução dessas duas novas avaliações, ou seja, as Observações Estruturadas de Integração Sensorial – Motor (SOSI-M; Structured Observations of Sensory Integration – Motor) e a Observação Abrangente de Propriocepção – Revista (COP-R; Comprehensive Observation of Proprioception – Revised), são fornecidas para familiarizar os interessados (Blanche, Reinoso e Blanche Kiefer, 2021).

     

SOSI-M: Structured Observations of Sensory Integration - Motor

  • A SOSI-M é composto por 14 observações clínicas administradas individualmente e contém várias novidades, como todos os materiais necessários para administração e instruções fáceis que podem ser administradas em inglês ou espanhol. As 14 observações clínicas incluem:
  •  
  • (1) Romberg;
  • (2) Calcanhar ao dedo do pé;
  • (3) Ficar em um pé;
  • (4) Teste de extensão do braço de Schilder modificado;
  • (5) Saltar;
  • (6-7) Série de saltos;
  • (8) Ajoelhamento alto;
  • (9) Extensão antigravidade;
  • (10) Flexão antigravidade;
  • (11) Movimentos oculares;
  • (12) toque sequencial dos dedos;
  • (13) Diadococinesia;
  • (14) Ações projetadas no tempo e no espaço.
  •  
  • Estas observações podem ser pontuadas individualmente ou em grupo. Além disso, sua contribuição para diferentes constructos, como processamento vestibular e proprioceptivo, controle postural e planeamento motor, pode ser facilmente estabelecida. Estão disponíveis pontuações manuais e eletrónicas; o último oferece a capacidade de gerar um relatório abrangente detalhando todas as pontuações e estatísticas a um custo muito baixo.
  •  

COP-R: Comprehensive Observation of Proprioception – Revised

  • A COP-R oferece 18 itens que são claramente definidos e podem ser observados tanto na comunidade quanto em ambientes clínicos, bem como durante a administração do SOSI-M. Agrupados em subescalas, os terapeutas podem deduzir pontuações diferenciais em quatro áreas afetadas pela propriocepção, ou seja: tónus e alinhamento articular, tónus postural, planeamento motor e manifestações comportamentais. Esta medida complementa as informações fornecidas pelo SOSI-M e permite aos clínicos refinar o impacto dos défices proprioceptivos na função e participação nas atividades e ocupações diárias.
  •  
  • Juntas, a SOSI-M e a COP-R oferecem uma maneira robusta e inovadora de avaliar a integração e o processamento sensorial, que ajudará os terapeutas a desenvolver novos planos de intervenção baseados em evidência. As fortes propriedades psicométricas de ambos os instrumentos oferecem a clínicos e pesquisadores a possibilidade de colaborar em estudos de pequena e grande escala que visam elucidar as contribuições da integração sensorial e do processamento para a participação de crianças e adolescentes em ocupações valorizadas e significativas.
  •  
  • Idade alvo: 5 aos 14 anos
  •  
  • Custo: 350$
  • Vê como cotar a SOSI-M aqui e a COP-R aqui.
  •  
  • Sabe mais sobre a SOSI-M e a COP-R em: https://www.academictherapy.com/

[NOVO] Artigos OTbrain

×